<$BlogRSDUrl$>

Vareta Funda

O blog dos orizicultores do Concelho de Manteigas


terça-feira, novembro 30, 2004

Já vos disse que gosto muito de Conan?



quinta-feira, novembro 25, 2004

25 NOVEMBRO de 1975
ou o Ponto Final da REVOLUÇÃO DE ABRIL



FELIZ COINCIDÊNCIA


Um dia antes de começar, talvez, o mais célebre julgamento dos últimos 20 anos em Portugal, o nosso sábio primeiro-ministro faz uma
remodelação no governo!
A sorte dele, é que hoje os jornais irão abrir todos com a notícia do outro julgamento...e ninguém o irá "julgar" como deveriam.
Que feliz coincidência...digo eu! E repito...


P.S.:
- É UMA CABALA CONTRA O HOMEM, AQUELA QUE AQUI ESTÃO A FAZER NO PORCO! - dizem vcs!
- NÃO...É SÓ UMA FELIZ COINCIDÊNCIA! - digo eu!





quarta-feira, novembro 24, 2004

de punho no ar - I

PROCURA-SE ANTES QUE VÁ PARA MINISTRO



Já não se pode ler tranquilamente o Jornal.
Fiquei cheia de problemas de consciência de não ter feito este post a tempo. Quem sabe assim ajudava os nossos agentes de justiça a encontrar o homem a tempo e horas. Agora já é tarde...





«Concorda com a Carta de Direitos Fundamentais, a regra das votações por
maioria qualificada e o novo quadro institucional da União Europeia, nos
termos constantes da Constituição para a Europa?».


Ando preocupada com o Referendo.
A ideia que tenho neste momento é que, na incapacidade constitucional de se referendar um tratado internacional – é inconstitucional perguntarem-nos se concordamos ou não com a Constituição Europeia - foram lá tirar três coisitas, mais ou menos irrelevantes, para nos perguntarem. Ou, por outras palavras, temos um Referendo constitucional mas inútil uma vez que o que está em causa é a Constituição Europeia e não parte dela.

Mesmo assim fui tentar ler o Tratado que a estabelece. Dividi a pergunta em três. Li a Carta de Direitos Fundamentais. Concordei.
Já a Regra das votações por maioria qualificada e o Novo quadro institucional da União Europeia, não li porque não os achei nem desconfio o que sejam.

Sou uma pessoa comum, faço questão de formar uma opinião pela informação que procuro obter e mesmo assim não entendo a pergunta.

Ando mesmo preocupada. E a minha preocupação aumenta porque não vejo muito gente preocupada. Ou todos perceberam e só eu não, ou então andam a preparar o discurso de preocupação pela elevada percentagem de abstenção. Parece que vai estar mau tempo e tal e a democracia em risco, ah pois e a legitimidade, e assim.

terça-feira, novembro 23, 2004

MINÚSCULA REFLEXÃO

Onde é que isto chegou? Agora até oferecem o Menino Jesus com o jornal?




Esplendoroso Presépio de Natal, dizem eles.

Podemos ser mais comerciais do que isto?

Já sei que sim.

quinta-feira, novembro 18, 2004

ESTAMOS ENTREGUE AOS BICHOS




"A Alta Autoridade para a Comunicação Social (AACS) concluiu ontem que configuraram uma "tentativa de pressão ilegítima" sobre o grupo Media Capital, proprietário da TVI, as declarações do ministro dos Assuntos Parlamentares, Rui Gomes da Silva, exigindo o "contraditório" aos comentários políticos que Marcelo Rebelo de Sousa fazia naquela estação.

O líder do grupo parlamentar do PSD, diz que a AACS "está totalmente desacreditada" e sendo urgente a sua substituição por uma nova entidade.

"Estou num dos dias mais gratificantes da minha vida como ministro da Defesa, quero lá saber dessas coisas." disse o Portas.

P.s.: Assino em baixo

quarta-feira, novembro 17, 2004

A MINHA MUDANÇA


Detesto mudanças!
Mudar de algum lado, ou mudar qualquer coisa, implica sempre uma quebra da minha rotina! Se porém, nem gosto de rotinas, poderiam imaginar que uma quebra de algo que não gosto até poderia conter algum prazer. Gosto de quebrar, partir, triturar, esmigalhar...mas rotinas não! É como as mudanças....não gosto, pronto! Abomino é o termo correcto!

E porém, nem falo de mudanças de rotinas...falo das mudanças mesmo, de nome próprio! "As" Mudanças...as de casa, as de carro, as de mulher, etc...
A pior de todas ( sim, sei que por vezes a mudança de mulher poderá ser entendida como uma "benção"....para alguns ) quanto a mim, é a mudança de casa!
Não era pressuposto, que quando mudamos de casa, este novo espaço fosse de facto para além do nosso imaginário, realmente, aquele local que nos daria alegrias? Então...expliquem-me:
Porque é que os primeiros dias de vivência numa nova casa, partilhando-a com essa ordinária chamada de "mudança", são tão penosos para todos?

Com excepção daqueles que se podem dar ao luxo de dizer para os pobres coitados que "arcaboiçam" com um móvel Luís XIV de 257 kg, com louças dentro ( "ah..não me apeteceu tirar" - diz ela, a outra que precisava até de ser mudada ):

- Mais para a direita! E olhe....atenção que o móvel custou-me 2.000 contos na moeda antiga!
- Sim, minha senhora..mas com uma escada de 90 cm é d...
- Olhe...eu paguei! Quero isso lá em cima no 4º andar como veio da outra casa! ,
para todos os outros, a mudança é uma estafa!
Mas, não é até dessas mudanças que falo! Porque, de facto, tendo eu uma família numerosa, e passado já por 189 mudanças até aos meus 25 anos ( incluindo, pais, tios, avós, primos, primas..etc..ah..e amigos ), sabia que um dia iria ter um retorno! Obviamente que não tive esses 189 a ajudarem-me...mas lá consegui arrancar os meus sempre colaborantes irmãos de casa deles,

"só depois do jogo....agora estou a ver o jogo!..da-se!" - disseram em uníssono,

para me ajudar a levar os meus móveis Luis Ikea, para o segundo andar!
Mas como dizia, nem era dessas mudanças que falava...eu falo, é de encaixotar!
Quem já passou por encaixotar ( e necessariamente desencaixotar ) a tralha que uma pessoa tem numa casa, sabe que essa é das tarefas mais herculeas que se pode ter ao longo da vida!
Eram livros, pilhas usadas, lápis, computadores, máquinas de barbear, garfos, candeeiros ( e agora por ordem lógica das coisas, porque me dá muito trabalho escrever nomes de objectos, sem um sentido ), copos, pratos, máquinas de cozinha, leitor de dvd´s, aparelhagem ( ainda hoje quero saber quem me f...o caixote da aparelhagem ), e toda a panfernália possivel e imaginária que nem pensávamos ser possivel albergar na nossa "pequena" casa antiga.

Meus amigos...temos de facto muito mais merda em casa do que pensamos!
Esta é, para já, a primeira coclusão que retirei desta minha primeira mudança...Ah...e não tenho filhos! Já sei que duplica exponencialmente a quantidade de merdas, quando temos essas criaturas a partilhar o nosso espaço...

Mas... há algo de positivo que retirei desta mudança!

Tenho uma quantidade imensa de cd´s de gravação, sem qualquer tipo de etiqueta ou nome ( porque no meio das 2987 canetas que tenho, nunca encontrava nenhuma de acetato quando precisava ). Ora..ao longo destes anos, fui acumulando, e empilhando em lugares obscuros esses cd´s, com uma quantidade imensa de informação.

Esses discos de informação são exactamente como os caixotes da mudança de uma casa! Nunca sabemos o que lá está dentro antes de os abrir, a não ser que uma pessoa escreva a caneta, a revelação do seu precioso conteúdo. Mas isso, não tem piada nenhuma! Não é para mim...
O que tem piada, "é-colocar-os-caixotes-dos-copos-no-sótão, quando-eram-para-ir-para-a cozinha, ...e ter que descer mais umas escadas, com o mesmo caixote, que estupidamente fez o trajecto inverso, porque alguém não se lembrou de escrever "COPOS" no cartão. "

Isso tem piada, tal como os cd´s! Voltar de novo, a introduzir os cd´s no computador ( já depois de ter tudo arrumado...e passado alguns dias de puro e pacífico disfrutar da nova casa ), e depararmo-nos com o que eles lá têm dentro, é como que abrir a última caixa de papelão, e descobrir que ela tinha lá os álbuns de fotografia da nossa infância.

Eram imagens em JPEG, Giff, Tiff, bastantes Bitmaps antigos...filmes que tinha gravado, quando ainda abria e-mails, e me dava ao trabalho de armazená-los num cd...mp3 de músicas que já tiveram o seu tempo, e que voltaram a soar de novo...projectos que pensava já ter perdido...textos que pensava nunca viria a ler de novo!

No fundo, esses cd´s são um pouco com aquele último caixote! Aquele que curiosamente ficou para o fim, e que tinha as fotografias com as nossas "descidas de rio com os amigos", as cassetes de vídeo com o meu baptizado, cassetes das músicas que gravava durante horas para as festas de garagem, os meus desenhos da escola primária, e as cartas das minhas primeiras namoradas...

Se não fosse essa mudança, não sei se iria ter a oportunidade de reviver tão cedo um turbilhão de imagens, sensações e momentos, como aquele que tive oportunidade de disfrutar neste fim-de-semana, enquanto comodamente instalado na minha nova casa, procedia à conclusão da tal mudança...



terça-feira, novembro 16, 2004

UMA NOITE SEM SONO by Odin


O que estou fazendo acordado há essa hora digitando isso? Nem eu mesmo sei dizer o que me causa essa falta de vontade de dormir, me lembro apenas que quando acordei olhar brevemente o relógio sobre a minha mesa e ver que eram somente 1:12 da manhã, o que me fez perceber pouco depois enquanto já estava tomando um meio copo de água o badalar de um relógio antigo que temos na sala, daqueles que sempre se vê badalando em filmes de suspense, e já eram 1:15 da manhã o que me faria voltar à cama preparado para completar a minha querida noite de sono, o que por bem da verdade não aconteceu, eu deitei e sem entender direito o motivo simplesmente não dormi. Bom... Vamos pensar o que eu posso ter feito de errado, talvez eu tenha me deitado da forma errada, custa nada dar uma rolada ao outro lado e ver se não foi isso. Varias mexidas depois pude notar que ainda não estou dormindo e o relógio, lembra, aquele antigo de filmes de terror, já esta badalando o toque das 2 horas da manhã, o que me leva a tomar medidas mais drásticas, daquelas que se toma quando não se consegue dormir de jeito nenhum, vou contar carneiros, muitos carneiros, elefantes, camelos, cavalos, jacarés e capivaras depois, me dei conta que minha imaginação para animais apesar de me levar sempre aos mais exóticos, se limita a uma quantidade pequena de bichos, ou, de paciência ao contá-los, de certa forma tanto faz, eu já vou parar com isso de todo jeito afinal o meu companheiro, o famoso relógio, já me vem badalar o toque das 3:15 horas e por mais que eu tenha sido paciente, já não sei mais o que fazer, quem sabe se eu esvaziar a mente de pensamentos, mas afinal como se faz isso? Mesmo que eu pense no vazio, ainda vai ser um pensamento, será que alguém em algum lugar já conseguiu realmente ficar pensando em nada, dizem os médicos que até quando dormimos temos atividades cerebrais, ou seja, pensar em nada não existe, melhor eu no lugar de ficar pensando como pensar no nada, pensar rapidamente uma forma de dormir, afinal o relógio já vem badalar novamente me avisando que passam das 4 horas da manhã. Ai que inferno isso, desse jeito logo só terei tempo de dar um cochilo, vamos tentar pensar em coisas boas, fechar bem os olhos e lutar contra essa coisa de falta de sono, afinal tanta gente tem insônia e consegue viver, eu também posso de alguma forma conseguir nem que sejam uns minutinhos de sono, ai maldito relógio que não para de tocar 4:30, 4:45, 5 horas da manhã, em meia hora tenho que levantar, o que eu posso fazer para dar ao menos um cochilo, acho que já sei, de repente o problema é contrariedade, se eu conseguir me convencer que eu tenho que ficar acordado, eu vou ter sono, isso é uma boa tentativa ainda bem que eu sou uma pessoa inteligente e pude pensar nisso, vamos ver, eu tenho que achar um bom motivo para me convencer que eu devo permanecer acordado, em meio a tantas coisas deve ter um bom motivo, acabei de achar um bom motivo, aliais, ele apitou aqui do meu lado, dessa vez nem foi o chato do relógio da sala, mas o meu despertador avisando-me da hora de acordar, e não é que de repente me deu um sono...



P.s - Decidi alargar os horizontes aqui do porco, a outras paragens! De um amigo de lá...para vocês de cá! É o contributo que quero dar...com a esperança de que desta forma, contribua para que ele de lá escreva mais..tal como vocês de cá! Sem pressas...ao sabor do tempo! Esse mesmo, que ando com falta...

segunda-feira, novembro 15, 2004




Estava eu a jiboiar no sofá à espera que o Congresso do PSD acabasse para poder pôr som na televisão outra vez, quando me ocorreu que hoje em dia se faz Congressos por tudo e por nada. Então não é que estes fazem um para tentar calar a boca aos outros que poupam em Congressos para gastarem em eleições directas! Ah... e tal... diz que é para legitimar o outro que estava lá com um pé dentro e o outro aos pontapés nas más línguas, coitado não o largam, e assim o homem nem consegue atinar para governar e depois sai-lhe tudo mal, e vai-se a ver e o homem até se esforça, cortou o cabelo e tudo, já a pulseirinha ... todos a pensarem que era uma fitinha da Nossa Senhora do Bonfim, pimba, não era nada, era de marca e tudo. Agora, pronto. Finalmente já é legítimo. Já pode governar sossegado.
- Agora já sou tão legítimo como tu! Bem feito!
- Não és nada, eu sou mais! Eu sou tão legítimo como o Presidente da República, toma, toma!

E por falar em Presidente da República, agora dedicou-se à escrita não foi? Pois foi, parece que já não escrevia nada de jeito há muito tempo, parece que agora manda escrever coisas sem jeito nenhum aos outros, e pronto, parece que estava com dificuldades – até o Papa o chamou para ralhar com ele: Ó Sampaio, coisinho, tu vê lá isso! Para castigo vais copiar a Bíblia! Mas tens de ser tu, não podes mandar ninguém copiar por ti. A última vez que o vi estava ele a fazer a cópia, e devem ser tantas as dificuldades que o homem estava rodeado de pessoas, com ar de professores, todos a ver se ele fazia erros, mas também, por mais erros que ele faça já não pode ser castigado, parece que já acabou o tempo, não sei bem, mas parece que já não se pode candidatar a mais nenhuma eleição, pelo menos nos tempos mais próximos. Eu acho bem, agora se eu fosse ele, fazia um Congresso, comprava uma pulseira e aderia à moda. Já não lhe falta tudo.

Cá para mim faz mal jiboiar a seguir às refeições...ou então as gotas estavam fora de prazo...


quinta-feira, novembro 11, 2004



DILEMA DOS PRISIONEIROS vs. DILEMA INVENTADO

Este todos conhecem.

Dois prisioneiros, A e B, cometeram um crime juntos.
O juiz oferece a cada um deles um acordo:
O prisioneiro que confessar e denunciar o companheiro ganha a liberdade e mais um prémio em dinheiro, enquanto o outro, se não fizer a mesma coisa, apanha 10 anos de cadeia. No entanto, se A e B se acusarem mutuamente, ambos serão condenados a 5 anos. Ambos sabem que a proposta está a ser feita ao outro, mas não podem comunicar um com o outro, estão em celas separadas. A melhor opção é calarem-se os dois. Mas será que podem confiar no outro?
Existem quatro soluções possíveis para o problema:
1- A e B calam-se e são postos em liberdade.
2- A denuncia B, é libertado e ganha um prémio, enquanto B apanha uma pena de 10 anos de cadeia.
3- B denuncia A, é libertado e ganha um prémio, enquanto A apanha uma pena de 10 anos de cadeia.
4- Os dois acusam-se mutuamente e são condenados a 5 anos

E este...também.

Um casal. Um dos membros comete uma infidelidade.
Sabe que se contar ao outro, o outro lhe perdoa, se o outro descobrir sozinho - discutem, se mentir/ocultar e o outro vier a saber - separam-se, se mentir/ocultar e o outro não vier a saber – tudo fica como dantes.

Se o Diabo passar por aqui, ele que escolha.

terça-feira, novembro 09, 2004

Ora bem...

Organizem lá as vossas vidas de acordo com o que vos proponho. Metam os putos na cama, dêem comida aos periquitos, fechem as torneiras de segurança e peçam a alguém simpático que olhe por isto tudo. Tenho a oferecer-vos os Feromona Live, na próxima quinta-feira, dia de São Martinho, no NetJazzCafé (que fica dentro do Chapitô), pelas onze e tal da noite.





Fotos gamadas ao belogue do Z.

E não digo isto outra vez.

segunda-feira, novembro 08, 2004

POSTA DE SAUDADE





Onde anda a Maria Armanda? Tenho saudades do «Eu vi um sapo».

Em jeito de reviver o passado, aqui fica a letra:

Eu vi um sapo
Um feio sapo
Ali na horta
Com a boca torta
Tu viste um sapo
Um feio sapo
Tiveste medo
Ou é segredo
Eu vi um sapo
Com guardanapo
Estava a papar
Um bom jantar
Tu viste um sapo
Com guardanapo
E o que comia
E o que fazia
Eu vi um sapo
A encher o papo
Tudo comeu
Nem ofereceu
Tu viste um sapo
A encher o papo
E o bicharoco
Não te deu troco
Eu vi um sapo
Um grande sapo
Foi malcriado
Fiquei zangado
Tu viste um sapo
Um grande sapo
Deixa-o lá estar
Vamos brincar.


quarta-feira, novembro 03, 2004

GEORGE BUSH - THE WANTED ONE


E pronto...deu-se aquilo que todos desconfiávamos, mas que ninguém queria acreditar! O George lá ganhou mais uma vez as eleições para a presidência dos Estados Unidos, e desta vez com uma vantagem que ultrapassa os 3 milhões e meio de eleitores! Um terço de Portugal foi a diferença...não digo um terço de portugueses, pois me parece que no Mundo só mesmo os norte-americanos, conseguem nutrir alguma simpatia pelo cow-boy.

Os norte-americanos tiveram na mão a possibilidade de mudar alguma coisa, na conjuntura e no panorama mundial! Tiveram...mas preferiram a continuidade, assente em pressupostos de estabilidade que lhes foram oferecido pelo seu magnânime e patriota presidente! Estabilidade essa, apoiada numa promessa de combate ao terrorismo, e na protecção a todo o custo dos seus conterrâneos.

A política do medo, é aliás, a todos os niveis aquela que tem mais sucesso!
As pessoas sentem-se aterrorizadas, atemorizadas e receosas e por esse motivo, não poderão ter a disponibilidade "mental" para poderem distinguir entre duas opções claras e distintas! Preferiram aquela do "homem musculado em casa", do que aquele que coloca um "alarme à porta". No entanto, como muitas vezes acontece, ser musculado não é sinónimo propriamente de inteligência...

E aqui, queria chegar a uma conclusão. Perante um certo anti-americanismo que de facto possuo, provocado nestes 4 últimos anos por este George, dou-me agora a pensar e a reflectir no quanto é irónica esta vida!
Um país com a capacidade dos Estados Unidos, é ocupado pelo povo mais ignorante do planeta! Essa ignorância, que não é generalizada, é no entanto massificada!

Se há interiorismo nos Estados Unidos, também em Portugal há...
Se há falta de acesso à educação, cultura e informação no interior dos Estados Unidos, também em Portugal há...
Se há um amor porventura inusitado relativamente à bandeira, conceitos patrióticos, etc...também em Portugal se assiste ao mesmo estigma...

Mas por favor, isso não poderá ser motivo de desculpa! Se perguntar à minha avó ( que é do interior, não sabe ler correctamente e tem uma televisão a cores há 3 anos ) em quem ela votaria se fosse americana ela diria:
- No outro que não é o Bush!

Dentro da conduta vigente naquele país, e na onda da "instauração de processos" por dá-cá-aquela-palha que se assiste nos tribunais norte-americanos, passo a avisar deste já, através deste espaço o povo americano:

- Se acontecer alguma coisa, aqui em Portugal, ao nivel do terrorismo, o Estado Português...esqueçam, pronto...eu e os meus amigos iremos processar-vos! Vocês tiveram a "faca e o queijo" na mão...não gostam de queijo? Meus amigos...bebam água! Mas por amor de Deus...um pouco de lucidez nessas cabeças não fazia mal a ninguém!

Acrescento só, em jeito de conclusão, que agora, os terroristas têm mais 3 milhões e 500 mil razões para continuarem a praticar a estupidez que reina neste mundo...


MALGRANDA HISTORIO AFLIKTITA*
E foi assim que a tristeza chegou. Encavalitada na escuridão do desconhecido. Entrou e assenhorou-se da casa e da dona que estava nua. Passeou-se por lá, triste, o tempo necessário para o nascimento desta história que, já agora, resolveu sê-lo, também. Aproveitando-se do selo da outra, passou para a outra banda que, ao ver que já não tocava marchas como antigamente, entristeceu. Por esta altura já era a tristeza a dona da casa. Com ela colada à pele desnuda, a outra lutava furiosa para se despir. Eis senão quando, soltou-se-lhe um, de entre os inumeráveis gestos bruscos que paria a cada pensamento e zás! Açoitou o frasco das gotas que fugiu mesa abaixo e partiu, manchando a paixão novinha em folha flutuante no rio de gotas onde a tristeza nadava. Nadava e ria, o riso da outra agora com siso. E foi conciso o grito que regougou para a outra: ESTOUNUA! A outra, que já se afogava nela, desengolindo-a berrou-lhe: ESTOUTRISTE!

*Esperanto. Tradução: "Pequena História Triste"


terça-feira, novembro 02, 2004

Crónica de um dia estranho - by Violeta
Ontem foi o dia de visitar as casinhas dos mortos.
Não foi dia de visitar as memórias dos nossos mortos, apenas as casinhas que à semelhança do Portugal dos Pequeninos, construímos para eles, aliviando a nossa alma, porque sabemos enfim e finalmente tratar dos nossos entes queridos...
Ontem fui ao cemitério. E lá estavam eles, tão perfilados como estiveram em vida, uns ao lado dos outros, está claro, que uns mais acima e outros mais abaixo, uns com casinhas rasas, cujo tamanho e qualidade da pedra das estátuas à porta deixam adivinhar o amor que nós lhes temos (agora é fácil amá-los), outros com prédios de 3 andares, mobilados com tapetes de arraiolos e molduras em prata, outros ainda enfiados em cubículos, engavetados na parede, lado a lado, numa promiscuidade que só visto...
Mas foi bonito. Havia flores frescas por todo o lado, havia rostos de serenidade de dever cumprido, havia crianças que brincavam. (Claro que o meu pré-adolescente fez das suas... sentou-se numa campa e quando percebeu onde estava, exclamou com um sorriso: -Upss sentei-me em cima de um morto!). Eu acho que o morto ficaria feliz. Sempre é melhor ter uma criança ao colo, do que alguns metros de terra por cima da nossa cabeça. Mas este dia foi também o dia do Pão por Deus. Era suposto em tempos, os pobres pedirem pão para a boca e os ricos darem alívio para a consciência. Hoje, graças a deus, já não há falta de pão, nem consciências. As crianças exigem Kinder chocolate nos cafés e pastilhas elásticas no super mercado e os adultos, lá vão dando os rebuçados que engrossarão as consultas no dentista.
Também foi bonito de se ver. Na minha casa o mais interessante que me apareceu, foram duas meninas com carinhas de anjo e olhos de princesa que chegaram tarde. Na minha voz de falar a princesas, disse-lhes: - A esta hora? Tão tarde? E elas, na sua candura cativante responderam: -Começámos cedo... já vamos no segundo saco!!! Jóia de crianças, prometem ser mulheres de corpo inteiro e cabeça fresca... Claroque lhes dei tudo o que tinha, não vá o diabo tecê-las e uma delas venha a ser num futuro próximo Ministra das Finanças…
Razão tem o meu príncipe que diz que as crianças são as pessoas mais civilizadas que existem neste mundo, já que os jovens só querem embebedar-se e andar a curtir, os adultos só sabem trabalhar e obrigar as crianças a ir a sítios chatos, e os velhos (os vivos safam-se, porque sabem responder a perguntas giras...) mas os outros já estão mortos...
E as memórias? Essas são minhas. Foram-me ditadas as palavras que escrevi pelas vozes do passado e pelas saudades do futuro. Foi um dia bom, este de todos os santos. De finados será hoje, e mais se escreverá sobre fins e finalidades. De renascimento serão todos os dias em que nos maravilharmos de existir e nos congratularmos de ainda sabermos sorrir.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?