<$BlogRSDUrl$>

Vareta Funda

O blog dos orizicultores do Concelho de Manteigas


segunda-feira, agosto 30, 2004

ABORTO - RADICAL


Parece que agora, está na moda fazer abortos!
É porreiro abortar, é fixe...é cool!
Tão cool que agora até se pode abortar num barco!

Como o governo português é contra coisas cool´s, e fixes, então decidiu que ABORTOS em barcos...não!
Por isso, é que o barco que veio cá para Portugal para fazer abortos fixe´s ao pessoal, não pode ancorar! Assim, fica lá para águas internacionais ( ou o que isso lá é ) à espera que o pessoal vá lá para dentro em alto-mar fazer abortos porreiraços! Com as ondas deve ser uma doideira..cool...

Ah...encontrei isto no sapo.pt:

"As mulheres que quiserem recorrer a este tipo de ajuda, terão assim que deslocar-se até águas internacionais no barco-clínica holandês, tendo que levar passaporte, informação sobre o seu tipo de sangue, uma muda de roupa e calçado confortável. O tempo de viagem até às águas internacionais é estimado em cerca de duas horas."

Fixe! Têm de levar uma muda de roupa e tudo! E calçado...

Mas pera aí..duas horas?
E ainda se tem de fazer a viagem até à Figueira? Xii...e aquilo nem aeroporto tem! E de comboio têm de ir até Coimbra, e depois apanhar outra ligação!

Mas...esperem aí...e será que
Elvas não fica mais perto?

P.s. - Eu também não sei escrever, nem calcular distâncias! Senão diria que até eu podia ser primeiro-ministro...o tal que foi presidente da Figueira...a tal cidade que fica a duas horas de barco do outro..o tal onde se fazem abortos fixes!

POUPEM-ME! DÊM VOZ A TUDO E A TODOS! FODA-SE!


domingo, agosto 29, 2004

BATALHA NAVAL

Se eu tivesse engenho e arte ou então a arte engenhosa da escrita como a dos meus parceiros tratadores, eu fazia um poste a desancar este governo. Já não me bastava ter de lhes suportar as férias mesmo antes de começarem a governar como ainda os tenho de ver a jogar à Batalha Naval. Vão dando tiros – até agora só acertaram nos submarinos – tentando acertar em navios e só conseguindo transformar barcos de três canos em porta-aviões. Como fica provado, não tenho a arte da escrita. Porque se a tivesse, havia de conseguir ridicularizar o governo por despachar uma proibição só pela informação que leu num site, haja pachorra! Partir do princípio que alguém vem a um país ilhado transgredir uma lei míope mesmo antes doquequerqueseja ter acontecido, é como ter um polícia atrás de nós à espera que estacionemos numa passadeira para nos multar ou prender um físico atómico só porque ele sabe fazer uma bomba nuclear. Ai se eu tivesse como, bem que lhes chamaria fascistas e retrógrados e ignorantes e despóticos e fanáticos e uns outros palavrões, não menos verdadeiros, que me coíbo de nomear porquesim.
Devem achar que todas as grávidas deste país vão fazer uma fila lagártica desde a Figueira da Foz até Freixo-de-Espada-à-Cinta para desistir da maternidade só pela oportunidade. – “Já agora, não que eu não pudesse fazer um aborto ali num vão de escada que eu conheço, mas já que está cá aquele barco tão limpinho e cheio de médicos...”. – “Eu até pensava ter este meu segundo filho, mas nunca estive a bordo de um navio...”.
Não tenho, mas se tivesse tempo dava-lhes umas aulas de Direito Internacional acompanhadas de uns estalos na cara para ver se eles tinham na deles, um pouco da vergonha que eu tenho na minha por causa deles.


sexta-feira, agosto 27, 2004

Obrigado, Vareta.

Até agora ninguém disse nada. Não sei porquê. Talvez seja por doutrina ou opinião pessoal, mas eu cá não queria deixar a passagem de um ano inteiro impune e silenciosa.

Obrigado, Vareta.

Obrigado por nos teres regalado com este mote e começares o que mais tarde se veio a reconhecer como "O Porco" da blogosfera.

Obrigado a ti e a todos os magníficos tratadores que o alimentaram durante um ano, para que visões pessoais fossem expostas e discutidas. Para que várias engraçadas historietas fossem contadas.

Obrigado a todos os comentadores por grandes pérolas e brincadeiras saudáveis que foram deixando pelas caixas de comentários deste grão de areia do ciberespaço.

Graças a vós, tive grandes momentos de risota e bons pedaços de cultura que ficarão lá alojados para que sejam usados oportunamente.

Acima de tudo, é bonito ver que mais ou menos participativo "O Porco" continuará a grunhir para marcar uma diferença neste espaço digital.

Ehh!! Parabéns, Vareta Funda! Ehh!!


Lições de nobreza

Embalados pela euforia que nos animou por via da organização do Euro 2004 e da prestação da Selecção Nacional Sénior, acalentámos secretas (e, por vezes, pouco secretas) esperanças de ver os nossos rapazes regressar cobertos de glória olímpica. O que aconteceu foi o que se viu: duas derrotas e uma vitória, a maior displicência, falta de tenacidade, uma gritante falta de competitividade (salvo raras excepções) e um desgoverno completo. Consumada a eliminação no apuramento para a fase final, a culpa foi do calor, da preparação, dos árbitros, etc. Os nossos bons rapazes, que todos sabemos no íntimo serem uma jóias capazes da maior abnegação no momento de honrar as cores nacionais, são impolutos e inatacáveis.

Francis Obikwelu aproveitou uma digressão da selecção juvenil do seu país a Portugal para fugir. Tinha um sonho e decidiu persegui-lo. Andou a trabalhar na construção civil, teve uma vida dura mas, como nas histórias de Hollywood, subiu ao Olimpo e olha agora de frente (em boa verdade, de cima...) os mais acarinhados dos atletas: os sprinters, os homens mais rápidos do mundo. Ganhou uma inesperada medalha de prata na final dos 100 metros planos e estabeleceu um record nacional para a distância que vai durar 100 anos (no mínimo) a ser batido por outro atleta. Fez os portugueses sonhar com outra medalha, nos 200 metros, mas falhou esse objectivo, ficando-se por um 5º lugar que faria salivar qualquer outro. Entrevistado, a primeira coisa que fez foi pedir desculpa aos portugueses, dizendo que correu mal. Possíveis explicações haverá, como o barulho no estádio ou o seu estado de saúde, mas o Francis assumiu a sua falta e pediu desculpas ao país - afinal, ao seu país.

A diferença de atitude é gritante, e as razões conhecidas de todos. Não é possível pôr um futebolista a raciocinar fora da lógica mercantilista do mercado de transferências, e as selecções têm que se contentar com o que puderem, desde que não colida com os interesses dos clubes, dos empresários e das televisões que fazem as transmissões dos diferentes campeonatos. Sabemos e, até certo ponto, compreendemos isto. Mas a assunção dos erros fica muito bem a toda a gente, e as desculpas esfarrapadas dos nossos futebolistas roçam o insulto sobranceiro ao pagode que come tudo o que lhe ponham na malga. Se calhar devíamos mandar esta rapaziada trabalhar para as obras durante uns tempos, para ganharem um bocadinho da humildade que faz com que o Francis seja um grande Homem.


quarta-feira, agosto 25, 2004

Um poste tétrico
Há um momento terrívelmente maravilhoso nas nossas vidas: é aquele em que nos deparamos com a iminência incontornável da nossa morte e percebemos, finalmente, tudo aquilo que foi verdadeiramente importante na nossa vida. Sem processos mentais complicados de auto-defesa, libertos da necessidade de dar um sentido ao nosso dia-a-dia, perante a evidência da inutilidade de rancores e azedumes, vamos todos ver com clareza a nossa história pessoal. Deve ter sido essa percepção que gerou o mito do juízo final e deve também ser isso que as pessoas que tiveram experiências de quase-morte relatam como sendo o passar da nossa vida toda pelos nossos olhos. Esse momento de revelação não pode ser antecipado, como é óbvio, e isso é encantador, mas se tivermos dele consciência teremos finalmente uma razão para recear, não a morte, mas o momento que a precede.

Cada um de nós sabe o que faz, como o faz e porque o faz, e não creio que daí advenha grande motivo de preocupação. Se e quando concluímos que procedemos mal, temos sempre a possibilidade de reparar parte do dano. O que, a mim, me inquieta seriamente é o que não fiz, porque o que não se fez é potencialmente mais lesivo que o que se fez. Deixem-me concretizar com o que me parece ser o melhor exemplo: não me incomoda os insultos que proferi contra quem quer que seja. Sou, normalmente, cuidadoso e distribuo-os com parcimónia, e o mais provável é que quem foi deles objecto saiba porque tal aconteceu (dê-me, ou não, razão). Incomoda-me muito a ideia de haver gente de quem gosto e que não o sabe ou sente. Prefiro, por isso, empenhar mais o meu tempo cultivando os meus afectos que as minhas (poucas) inimizades.

quinta-feira, agosto 19, 2004

ENE OU BLOGGER?



Não...não...nunca me tinha passado pela cabeça alguma vez discutir sobre a temática dos comments de um blog! Mas, até porque esta temática gerou um grande alvoroço nos nossos milhares de visitantes diários, abre-se obrigatoriamente o debate:

ENE OU BLOGGER?

Como em tudo o que envolve fazer uma opção, há que primeiro discutir as causas, e depois as vantagens ou desvantagens que cada um permite. Cabe aqui ressalvar que eu não entendo nada de scripts, html, etc...nem tenho acesso a códigos de comments, ou mesmo de template do porco ( só para ressalvar algumas críticas estéticas, que poderão surgir....claro! ).

AS CAUSAS desta mudança do sistema de comentários do nosso Porco, da Enetation para o Blogger:

- A Enetation era uma grandessíssima puta! Por esse motivo, estávamos a levar com críticas sistemáticas por parte de algumas famílias, que alertavam para a prática dos bons costumes, ao qual a ENE ( vou chamar pelo nick que os amigos utilizavam ) se desviava!

- A ENE é uma Puta e ponto final.Párágrafo!

Permitia a entrada de muitíssimas coisas que "interferiam no normal funcionamento do Vareta" ( soa bem )!
Entre alguns que conhecemos estão: scripts e imagens dos mais diversos campos e temas ( a estatística demonstra que os comentadores tinham queda por "cagalhões" e "gajos com gajos"...).

- A ENE é uma meretriz! Permitia o convívio de grupos...aliás, ela só gostava de grupos! Grupos grandes de preferência...de comentários, de comentadores, e de comments...Comments esses que iam do mais breve "uai" a excelentes doutrinas de prosa dadas por um tal de "mimosa" (permitam-me o bold quando escrevo este nick).

- A ENE estava gasta...usada...cansada...como puta que se preza! Aliás...era a única puta que conheço ( não conheço as outras mas tenho que vincar isto ) ou "ouvi falar" que faz greve! Muitas greves mesmo...aliás...acho que são mais as vezes que está em greve do que ao serviço!

- A ENE era a maior...e sendo nós humildes, esse adjectivo para alguns não se ajustava á personalidade do blog!

- Porque não o "BLOGGER"? - perguntou alguém


VANTAGENS E DESVANTAGENS DA ENE:

- Desvantagens: são as causas atrás descritas!
- Vantagens:

A ENE é um clássico!

Eu gosto dos clássicos...e tal como o Vareta diz: " A mim, quem me tira os clássicos..."
É o sistema de comments original do BLOG de onde viemos! Não é uma cópia...é o original!
É cor-de-laranja...aliás, é o único sítio onde gosto de ver esta cor, em fundo!
Permitia fazer dela um chat, sem termos que inserir um! E fazer com que os outros senhores-donos-de-blog "se passem" ao ver o nosso número médio - perfeitamente louco - de comentários por post! Provoca por isso a inveja nos outros ( isso é uma vantagem ) blogs! O pessoal gosta dela...pronto!
A maior das vantagens, reside no facto de que não precisa de registo! Qualquer olheiro, qualquer visitante que nunca tenho visitado o BLOG ( não sei se ainda existe algum ), poderá dar o seu contributo sem perder o seu precioso tempo com registos! No fundo...a ENE não tem nada a ver com a máquina portuguesa!

VANTAGENS E DESVANTAGENS DO BLOGGER:

- Vantagens:
Não permite entradas de scripts nem imagens! Gosto mais do estilo da/do BLOGGER, da imagem tipo "Mondrian" com laranja ( gosto do laranja...pronto! ), branco, azul e preto! Os comentários são vermelhos...

- Desvantagens:

"É uma seca! Não dá para chat!" - dizem alguns!
"Antes é que era bom!" - dizem outros
"Eu gosto é de bitoques!" - nunca mais ouvi do outro!
-"É preciso dar o nome, o mail, etc para se fazer o registo...que seca! Eu só queria mandar o FPM com o car..." - dizem os que percebem ainda menos destas merdas do que eu!
-"Não à censura! Viva o 25 de Abril!" - dizem também alguns... eu penso nisso! Às vezes...
-"Foda-se..com esta é que os gajos me lixaram! Agora o que é que eu vou fazer no resto das férias, se já não posso estoirar com a cabeça aos gajos do Vareta?" - dizem aqueles que não têm mais nada que fazer, senão andar a tentar estoirar-nos a cabeça!"


Resumindo...eu vejo coisas boas num sistema e noutro! Agora...pode ser QUALQUER um, desde que não seja com o DelNeri!


terça-feira, agosto 17, 2004

QUAL O PRAZO DE VALIDADE DE UM BLOG?


Cheguei de férias...estava a precisar daqueles dias em que não preciso de nada, a não ser isso mesmo...não precisar de nada!
Não precisar de ter horas para me levantar, de ter horas para andar de carro, de entrar no escritório, de ir almoçar, de voltar do almoço, de sair do escritório, de ir para casa, de jantar, e de ir dormir...

Entre esta rotina, estava o clique de um blog, que ajudei a fazer nascer à cerca de um ano atrás! Estava a tornar-se rotina, mas não aquelas rotinas que nos custam...
"Estar" neste espaço é como que uma fuga aqueles momentos que "tenho que", e "me custa isto"... Estar aqui, fazer posts, mandar umas "caralhadas", uns piropos, banalidades, etc...era uma forma de "estar"! Um culto...ou lá o que poderá ser isso! O Culto de pertencer ao Vareta Funda...
Quando digo pertencer...digo...todos sem excepção!

Uma forma de estar que adveio de um
outro espaço, agora fechado ou inacabado...
Provavelmente aquele espaço, expirou o prazo de validade!

Dei então comigo a pensar...será que um BLOG tem prazo de validade?

Sei que nestes últimos dois meses, ele "não sabe" para mim da mesma forma que antes!
Basta recordar ( sem querer tecer comparções ) a conjuntura temporal que me fez largar o "PIPI" em JULHO do último ano...e me aproximar deste grupo de pessoas, e formar conjuntamente um blog, onde pontificassem espíritos de universalidade, pluralidade e liberdade...resumindo: "onde me sentisse bem".

O PIPI, em JULHO do ano passado, talvez por questões ligadas a:
- saturação de pessoas pelo trabalho;
- aproximação do Verão;
- calor a mais naqueles cérebros;
- término das aulas escolares;
- excesso de visitantes...

foi corrompido, por uma série de factores que me levaram a abandonar aquele canto que tanto gostava! Abandonei porque me apeteceu...

Após voltar das férias, lá estava uma mensagem na minha caixa de correio para entrar em contacto com alguns dos ilustres que por aqui ainda hoje andam!
Em conjunto, decidimos formar este blog...um espaço que pretendíamos decorar à nossa maneira, aberto a quem quisesse aparecer e que, sem uma temática definida, fosse capaz de suscitar coisas boas e más! Pelo menos, sempre o entendi assim...

Hoje, após um ano, a validade do BLOG não cessou...antes se prolongou!
Contudo, faço aqui uma advertência aos actuais "tratadores", "comentadores", "visitantes assíduos e olheiros":

Para mim, este espaço deveria ser sempre entendido como um espaço de pluralidade! Assente no respeito daqueles que tentam diariamente ( semanal, mensal ou esporadicamente ) fazer dele, um produto diferente...mas liberal!

Tal como à um ano atrás, ganhei novas energias para o combate que se avizinha!
Tal como à um ano atrás, cá estamos todos...e nunca se esqueçam: depois da tempestade vem a bonança!

E o prazo deste não acabou...


A língua americana explicada às crianças

Libertação - Acto de invasão de um país soberano para deposição de um governante hostil aos interesses do invasor.

Fraude - A expressão da vontade popular através do voto.


domingo, agosto 15, 2004

CAROS LEITORES E MALTA EM GERAL.

O Vareta Funda, vara que se orgulha de ter as mais limpas e frescas instalações da blogosfera, com o intuito de manter este preceito ostentado qual galhardete arriado e glorificado para dar-vos a luz da sabedoria suína, decidiu proceder a uma limpeza de instalações.

Esta iniciativa passou pela abolição tácita do antigo serviço de comentários Enetation - também conhecida por "Meretriz" ou "Mãezinha", para muitos utilizadores.

Não é que tenhamos algo contra a qualidade do serviço - muito pelo contrário. A dita senhora é que sofre de um problema de imunidade. Ora, como sabemos que o Programa Nacional de Vacinação está pela hora da morte - passem a alegoria - e também como não podemos pagar a enfermeiros residentes, decidiu-se pela implementação de um novo sistema, este, estando intimamente - diria até, lascivamente - ligado ao sistema de publicação que usamos para trazer estas pérolas imaculadas até vós. Portanto, o Blogger.

Ouço-vos grunhir nos confins destas redes ópticas que nos rodeiam:

- Ehh! E agora como comentamos, hã?;
- Foda-se, lá foderam esta merda toda!;
- Enfia o blogger no...;
- Eu é que sou o Pipi!;
- Bitoques! Bitoques!!;
- Vocês são maus. Agora não posso clonar o quelito. Nunca mais volto! Buáá!;
- ...;

E eu grunho-vos também:

Nada mudou. O sistema de comentários permite a mesma utilização que a Enetation. Continuam a ter as mesmas etiquetas de HTML para realce de texto e utilização de linques, o que não têm são as etiquetas que permitam a utilização de scripts e imagens. Se isso faz falta? Pessoalmente acho que não. Faltinha nenhuma. Na sua essência, os restantes tratadores, por omissão ou por expressão das suas opiniões, também o acham, ou não se teria feito esta operação.

Continuam a ser respeitadas a liberdades individuais de cada um - particularmente, o direito ao anonimato - pois os perfis do Blogger permitem a opção pública ou privada para disponibilização dos dados.

E mais: poderá ser permitida a utilização de comentários anónimos. É uma opção que não disponibilizei pois não me permito a tomar decisões sobre a conduta do blogue sem uma referência dos originais criadores do mesmo. Se assim for decidido, assim será - sem embargos, como é óbvio.

No entanto, todas as opções que são tomadas na utilização destes meios são reversíveis. Depende, pura e exclusivamente, da observação da realidade e visão que se tem sobre estas publicações e, neste caso, o Porco.

A Internet é assim - mutável - e tenho a certeza que, se esta não for a melhor opção, será passível de mudança imediata. Toda a gente quer um melhor blogue e um melhor convívio entre todos - De forma alguma se quer impedir esta directriz basilar.

Portanto, e para melhor assistir esta mudança, aqui ficam indicações de como registar uma conta neste novo serviço.

Sigam estes passos, na janela que se segue após terem escolhido a opção: ">> Ponha o Porco a arrotar!":

1. Nesta página, basta clicar na porrinha do botão "Get One Now" situado abaixo do texto "No Blogger Account?".

2. Preenchimento do formulário:

1ª: insiram o vosso nique costumeiro.
2ª: a palavra-chave.
3ª: a palavra-chave - sim, a mesma.
4ª: o vosso nique, novamente, mas capitalizado ou da forma que desejam que apareça nos comentos.
5ª: o vosso endereço de correio electrónico.
6ª Caixa de selecção: Marquem-na, simplesmente, aceitando os termos de utilização.


Pronto. Estão para sempre permitidos a comentar em qualquer blogue que utilize como sistema de comentários, o Blogger.

Caso não tenha conseguido fazer estes passos, visite este endereço.


Esperamos que, com esta acção, se possa manter um orgulho "Vileda" no nosso Lamaçal.

Obrigado e bons comentos.

quinta-feira, agosto 12, 2004

PASSATEMPO


Como os excelentíssimos senhores frequentadores deste blog já devem ter reparado, os postadores encontram-se de férias. Para minorar o incómodo, aqui fica um passatempo. A imagem contém vários erros ortográficos, descubra quais. BOA SORTE!

quarta-feira, agosto 11, 2004

ESTA NOITE


Em 1862, o cometa Swift-Tuttle atravessou o Sistema Solar. Todos os anos por esta altura a Terra visita a região onde ele deixou milhares de pequenas partículas, a constelação de Perseu, daí que se chame Perseida à chuva de estrelas cadentes que se poderá observar ao início da noite de hoje, e que é visível na direcção do ponto cardeal Norte, junto à linha do horizonte – por ser aí que se encontra Perseu.
Quem quiser fotografar o céu e não tiver uma câmara fotográfica digital, deve dirigir-se para um local pouco iluminado – a lua nova ajudará - utilizar um filme relativamente sensível – 200 ou 400 ASA – manter a máquina em pose durante alguns minutos – 10 ou mais - e, com Paciência, esperar que passe uma estrela cadente.

terça-feira, agosto 10, 2004



DESCOBRI RECENTE E INESPERADAMENTE O GOSTO PELO TANGO. APETECEU-ME PARTILHÁ-LO CONVOSCO.


I – REFLEXÕES DE FÉRIAS

Agosto. Férias. Praia. Mar. Gente. Muita gente. Como não podia deixar de ser, o mês que se vence no próximo dia 31 continua a ser o preferido dos portugueses para gozar aquele período concentrado de «fins-de-semana seguidos». Pois. Eu também sou português…

Erro crasso. Não se pode andar nas ruas, não se consegue chegar ao multibanco antes das duas da manhã, os víveres mais básicos escasseiam nos supermercados, há filas de carros para todo o lado. Os restaurantes estão cheios, os empregados são mal formados, a comida demora uma eternidade a chegar à mesa. É o caos.

Mas é suposto ser o paraíso. E acaba por ser. Vêem-se rostos felizes, bronzeados, respirando saúde e com marcantes sorrisos brancos – ainda que apenas o sejam por contraste. Para trás ficam muitas agonias, muitos esforços. Assim como muitas horas de tédio, daquele «nunca mais chegam as cinco horas que é para eu continuar sem fazer nada no conforto do lar».

Um ano inteiro de esforço ou de aparência de esforço pertence agora ao passado. Estamos contentes, eu e a Maria. Estamos contentes, a Maria e os putos. Estamos muito contentes. Aliás, é nesta altura que eu e a Maria mais fogo sentimos debaixo dos lençóis. Quais lençóis nem o caralho! Tá calor, é tudo à vista! E os putos, na sala ao lado, dormem o sono dos justos, cansados de correr no areal e de paparem «bóliberlim» que me custam os olhos da cara. E sacana-do-gajo-que-vende-esta-merda-que-trabalha-três-meses-por-ano-e-deve-tar-podre-de-rico.

Mas férias são férias.

segunda-feira, agosto 09, 2004

TEMPO

Tenho para mim que o remédio para muitos problemas é o Tempo. Esse miserável que tanto nos falta. E falta-nos porque anda a tratar dos problemas que só Ele consegue resolver. Já vi situações muito difíceis serem resolvidas só por esperarmos que Ele passe. Aqueles problemas que nos matam a cabeça de tanto pensarmos neles são os que Ele mais facilmente resolve. Claro que não os resolve sozinho. O Tempo é polígamo. Obtém as ajudas da companheira preferida da altura. Ora é a Persistência ora a Luta ora a Paciência ora a falta dela. Além de polígamo o Tempo também é, e agora é que vem o dado mais importante e também o que vos vai fazer soltar uns Ahs! de espanto e quiçá de desaprovação, é, dizia eu, bissexual. Ora então fechem lá as vossas bocas espantadas porque é o companheiro masculino do Tempo que nos vai resolver o problema aqui da Vara. Ouço um coro inquiridor: Mas como? E eu que, tendo poderes, posso, passando a redundância, esclarecer-vos que o novo companheiro do Tempo é o desprezo, e em honra dele escrevo-o com minúscula. Quero eu dizer, na minha, que estes dois juntos nos vão resolver o problema da má frequência do nosso estaminé. A esta hora estão todos a pensar que apanhei demasiado Sol na cabeça durante as férias, o que sendo verdade não é justificação para este post mal alinhavado. A verdadeira razão é a Pressa e a Esperança que só me entenda quem merece e a quem se dirige este texto escrito na língua de Eusébio.

quinta-feira, agosto 05, 2004

HOJE HÁ MAIS UMA ESTRELA NO CÉU



HENRI CARTIER-BRESSON


terça-feira, agosto 03, 2004

FÉRIAS!!!


Hoje acordei mais cedo que o costume. Os senhores da EPAL resolveram cortar a água a partir das 9h00, na minha rua, e rapazinho asseado que sou, levantei-me a horas de tomar banho com águas correntes, quentes e frias, todas misturadas num deboche térmico de excelentes resultados. Quando fui à janela da sala, reparei que o meu mundo estava bastante reduzido: a ponte, o rio, os prédios em frente, tudo fora tragado por uma névoa espessa e pegajosa. Uma névoa comunicante, acreditem, que me gritava sonoramente: “Bem podes ir de férias, ó pândego de merda! Quando voltares cá te esperamos para mais um ano do mesmo!” Ora, se há coisa que me transtorna é que fenómenos meteorológicos comuniquem comigo sem autorização prévia. Vai daí, também eu gritei à névoa: “Vai-te mas é foder!” E ela foi. E choveu-se todinha. Bem feito!

Hoje, portanto, é o meu último dia de trabalho antes do meu próximo dia de trabalho, mediando entre os dois qualquer coisa como 18 dias úteis. Não é mau. Nem bom. É o que se pode arranjar. Num desses dias úteis – o 26 de Agosto, para ser mais preciso – completar-se-á um ano desde o primeiro post, ainda titubeante, deste nosso porquinho. Um ano inteiro de orizicultura, com uns meses agulha, uns meses carolino e umas semaninhas de trinca. Conto vir cá por essa altura para vos aborrecer com balanços, discursatas sentimentais e promessas para o futuro.

Estou animado por partir de férias e não fazer a menor ideia de que elas vão ser. Sei que vou ao Festival do Sudoeste. Se por lá passarem e virem um rapaz muito bem apessoado, de ar sereno e mais limpo que os outros, deverei ser eu. Perguntem educadamente: “É o Senhor Funda?” e ainda pode ser que vos pague uma groselha. Eu sou assim: a mistura de concertos e férias deixa-me incrivelmente perdulário… mas sempre modesto.


domingo, agosto 01, 2004

Só por ti

Toquei-te o ventre e senti o frio percorrer-me a mão. Quis o frio e a saudade. Quis a alma que me foge pelos dedos.

Senti-te no meu amor, no meu frio, na minha saudade. Senti-te para te ter. Para te perder. Para ter os meus dedos junto do teu corpo.

Toquei-te devagar, como sempre o tinha feito quando me queria dentro de ti. Chorei para que me secasses as lágrimas, sorri para que me beijasses os lábios. Movi a minha alma, toquei o teu sentir. Queria ser por ti o amor que te tenho. Menti-te e solucei, lavei-me para te ter. Tomei-te em mim, porque não queria estar sem ti.

Meu amor que te agarra, minha dor que te amordaça. Meus dedos que por teu corpo escorrem. Minha alma que no sentir ecoa. Lamentei-me e sofri-te. Tirei de meu sangue a dor que te escoa. Lavei no meu sangue o suor que te toca. Levantei a minha mão para tocar a tua pele. Senti em ti o fogo que me consome. A paixão que me foge. Chorei por não estar contigo, menti-te e menti-me para te ter junto de mim.

Amaldiçoei o mar que nos separa, sequei o oceano que me corrompe. Queria-te aqui junto de mim, para tocar teus lábios que me beijam. Fechei os olhos e sonhei contigo. Com o teu corpo. Com a tua cara. Com a alma que foge do meu corpo para se juntar à tua. Para te amar comigo, para levar o meu sonho de um dia estar contigo.

Toquei o teu corpo, beijei a tua alma. amaldiçoei o Deus que nos escondeu, menti à dor que me consome. Nada me espanta, nada me corrompe, nada me separa do teu corpo. sonhei contigo envolta no meu corpo. Lavei-te nas minhas lágrimas. Senti em ti o meu carinho. Toquei por ti o meu sentir. Nada anseio, nada desejo, nada mais para além da minha dor.

Quero-te aqui, agora, para sempre perto de mim, para nunca fora de mim. Para sempre... Para nunca... Para talvez um dia sentir. Para te poder tocar, para te poder amar. Para me rir da tua ausência, para chorar da tua dor. Para te saber minha. Num dia. Numa noite. Numa alma que não tive. Numa noite sem lua. Para te poder tocar como nunca o fiz, para te poder amar como nunca o fiz.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?