<$BlogRSDUrl$>

Vareta Funda

O blog dos orizicultores do Concelho de Manteigas


sexta-feira, maio 21, 2004

"DIÁRIO DO FAROL"


Com o avolumar de trabalho à minha volta, e com a pressão de empreiteiros, construtores, imobiliários, clientes, particulares, empresas, câmaras...deixei de estar em contacto com o mundo, e tenho tido uma relação de amor e ódio com o AutoCad. Amor porque é ele que me ajuda a pagar as mensalidades da casa, e ódio porque é ele que me retira esse contacto, e que me afasta por completo da realidade.

Há noite, antes de me deitar, penso como é que hei-de resolver o problema daquele espaço, e tento memorizar aquilo que é prioritário para o dia a seguir e com que pessoas terei que falar, para no fundo passar mais um dia, e voltar a pensar nas mesmas coisas.
Uns minutos antes, de fechar mesmo os olhos, e de adormecer ( nunca falei aqui sobre o fascínio que tenho sobre a temática do adormecer...sobre aqueles centésimos de segundos antes, de não sabermos que já estamos a dormir...fica para outro ), leio um pouco!
Raramente escolho, ou compro livros dos quais não obtive qualquer feed-back, ou dos quais por algum motivo não vi qualquer referência ou passagem que me despertasse o interesse...a não ser que me ofereçam.

O mais curioso dos livros que li até hoje, foi um, que estava referenciado numa frase, na contracapa de um Cd dos Manic Street Preachers - "Holy Bible",que por se relacionar com a problemática da originalidade da concepção de algo, me fez deslocar até à Bertrand e fazer a encomenda. O livro chamava-se "O Jardim dos Suplícios", e o autor era o Octave Mirbeau. De capa azul, com umas letras douradas, foi algo de fascinante, e que, naqueles minutos antes de adormecer, me levavam a esquecer a merda do trabalho, e embrenhar-me numa história que se passava lá para Oriente onde uns gajos chineses, torturavam "graciosamente" seres humanos, nos seus jardins. Tudo isto, era escrito de uma forma absolutamente genial, e eram abstraídos os pormenores...como convinha.

Depois já li mais alguns, do qual vos recomendo "O Deus das pequenas coisas" da Arundathy Roy. É uma história...e eu gosto de histórias. E foi o último que li!

Fui há 3 semanas, mesmo antes de dormir, à Feira do Livro em Coimbra. Dá-me uma seca tremenda ir às feiras dos livros, mas sempre consigo ( conseguia! ) arranjar algumas revistas a metade do preço. Deparei-me, em lugar de destaque, com um mais um livro do João Ubaldo Ribeiro.
Conheci-o e li-o, há uns anos, e durante a viagem de Salvador para Lisboa, um livro que me ofereceram que se intitulava "A Casa dos Budas Ditosos" ( a Estounua conhece-o também ). Devorei-o ( li-o todo antes de chegar ), e achei intrigante a forma como um jornalista brasileiro, poderia narrar tão fielmente a história de uma mulher, e a propósito de uma proposta de escrever sobre um dos 7 pecados mortais - "A Luxúria".

Dizia que era verdadeira...era um pouco como a história do "Blair Witch", que também vi num cinema no Brasil, com mais 4 pessoas numa sala, muitos meses antes de chegar cá. Fui ver, e não sabia que a história era encenada. Fiquei estupefacto...por isso, sem o saber, retirei todo o proveito de um filme, que para mim foi um documentário, e que para a grande maioria foi uma "fantochada". Eu só soube que era uma fantochada depois!...

Voltando ao livro do João...chama-se o "Diário do Farol". Vou na página 87...e aquilo tem 197 páginas...ou seja, vou lá para menos de meio. A história ( são sempre histórias ) fala de um rapaz, depois homem, que pratica o Mal, mas que faz o Bem...porque segundo o autor, ou ele ( jura a pés juntos outra vez que a história é verdadeira...xiça...nunca sei... ), só se faz o Mal se praticarmos o Bem...e só fazemos o Bem, se praticarmos o Mal. Resumindo, ele diz que não há grande distinção, e que os dois se fundem, porque são indissociáveis.
"O Diário de farol" é por isso, o meu livro de cabeceira, apesar de não ter cabeceira...nem cama...mas tenho um colchão! E durmo...

E enquanto durmo e trabalho não posso vir aqui! E não vejo as notícias...
E por isso, não sei se o Mourinho vai para o Chelsea, ou se o Camacho já está no Real; ouvi que o Moreira foi à Selecção; vi de relance o Benfica ganhar a Taça, mas nem fui festejar ( também não o faria se tivesse tempo ); não sei se os nossos destinos estão registados em computadores; nem vi o tal vídeo da "impertinente" decapitação do americano, que todos viram, mas que ninguém queria ver...
Eu não vi o tal vídeo/filme...estava mais preocupado em fazer uns "offsets" aqui no AutoCad, e ler e pensar se realmente o Bem é o Mal, ou o Mal é o Bem. Não quero por isso saber se o Bush quando diz que vai combater o Mal, no fundo não está a fazer nada Bem, e também porque está Mal a forma como ele o está a fazer, apesar dos iraquianos também não baterem Bem da cabeça...e isto tudo que se está a passar não é nenhuma história!

P.s. - Nada como vir aqui, e saber que este mundo felizmente está na mesma, e poder ficar a par de todas as novidades.

Arrotos do Porco:


<< Voltar ao repasto.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?